• julia9870

Descubra 3 passos simples para fortalecer a segurança cibernética da sua empresa.

Por que a cibersegurança ainda é desafio na área de crédito e gestão de recebíveis?


Entre outros motivos, baixo orçamento e medidas fracas de proteção são os principais condutores da elevação dos níveis de exposição de bancos e seus clientes. Riscos de ataques cibernéticos aumentam à medida que os chamados neobanks se multiplicam. Isso porque à medida que o número de atuantes na gestão de recebíveis crescem, – eles oferecem cartões, pagamentos de contas e transferências por meio de aplicativos seja em celulares ou em sites na internet – há uma propensão natural do aumento dos ciberataques.

Segundo especialistas, um dos fatores que contribui para essa situação é a falta de orçamento para monitorar as atividades cibernéticas. O nivelamento aos padrões de segurança de bancos tradicionais por exemplo, depende dos provedores de serviços de segurança gerenciados.


Histórias recentes de ataques a ransomware – que exigem pagamento de resgate para recuperação de dados apreendidos – chamam atenção por escolherem seus alvos independentemente da localização geográfica ou setor.


  • Exemplos: Oleoduto Colonial, setor de seguros na Ásia, uma empresa europeia de aluguel de caminhões, uma compradora francesa de títulos financeiros e uma empresa de alimentos mundiais.

Entretanto, esses ataques não se limitam a empresas com capital presente na bolsa. Algumas instituições públicas ou até mesmo Estados soberanos são vulneráveis a tais práticas.


  • Exemplos: Município de Hartford, vários distritos escolares do Texas e ao sistema de assistência médica da Irlanda.

Por isso, o risco cibernético é fator muito importante na determinação das classificações de crédito. O âmbito da gestão de risco cibernético exige a adoção de diversos passos para ajudar a mitigar o potencial impacto dos ciberataques sobre o crédito.


  1. Agir o mais rápido possível é vital!


Exemplo: Seguradora americana CNA.

Medidas de alívio imediatas: comunicação com funcionários, clientes, corretoras, agentes, investidores e autoridades reguladoras. Isso ajuda a restringir a extensão do impacto sobre a empresa, sua reputação e posição competitiva.


2. Detecção intensiva passa a ser vantagem competitiva.


À medida que os ciberataques ficam cada vez mais estruturados dificultando sua descoberta, a prevenção intensiva de cibereventos passa a ser normativa.

Exemplo: SolarWinds Holdings. Empresa sofreu um ataque vários meses antes dele ser detectado. Isso aumentou a escala e magnitude do acontecimento. O impacto e custo foram muito maiores, contribuindo para o rebaixamento da empresa de B+ para B.


3. Como a Pandemia impactou os investimentos no setor de segurança cibernética.


É incontestável que os executivos passaram a realocar recursos para gerir a exposição de suas empresas ao risco cibernético, mas isso não se configura suficiente. Exercícios de simulação voltados para avaliação e teste dos graus de prontidão do sistema de defesa são essenciais.


Como a DDM pode te ajudar?


Assim, terminamos nossa #DDMnews da semana na esperança de que as empresas incorporem em seu DNA a aprendizagem que os últimos ciberataques nos deram. A adoção de medidas eficazes para evitar e detectar futuras ameaças é levada muito a sério pela DDM, devido a sua grande atuação como recuperadora de crédito. Diante da importância da gestão do ciber-risco sobre as classificações de crédito, uma cibersegurança sólida deve extrapolar o meio digital.


Entre em contato conosco para conhecer melhor nossos serviços e produtos.

Danielle Rego

SDR - Time de Parcerias B2B

(21) 96712-6257


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo